❤️O Chelsea esvaziou um pouco o balão da pressão❤️

04jogos jogos de azar 2023-03-14 11760

description:2023-03-14 19:50No final do jogo com o Leeds United, respirou-se fundo em Stamford Bridge. Não foi bem um suspiro de alívio e plena satisfação, mas mais o esvaziar do balão de frustração que se tem apoderado do Chelsea nas últimas semanas. O triunfo foi magro (1-0), mas serviu para os “blues” consolidarem a posição a meio da tabela da Premier League e reduzirem ligeiramente a pressão.Foi a primeira vitória nas últimas sete semanas, diante de um adversário que luta actualmente pela manutenção. Uma vitória celebrada com sorrisos e abraços que traduziam bem mais do que a simples obrigatoriedade de os londrinos imporem a sua superioridade. E foi uma vitória especialmente importante para Graham Potter, treinador que assumiu o comando técnico em Setembro e tem andado longe de convencer.Percebe-se porquê: desde que o empresário norte-americano Todd Boehly chegou, o Chelsea gastou mais de 350 milhões de euros no mercado de Inverno, elevando o nível das expectativas que rodeiam um clube habituado a discutir os lugares da frente do campeonato - ou não tivesse um dos melhores plantéis do futebol inglês. Malta! Foi golo do Chelsea! ???????????????? @premierleague | @ChelseaFC 1 x 0 @LUFC#PremierELEVEN pic.twitter.com/dsHtdn9bJj— ELEVEN Portugal (@ElevenSports_PT) March 4, 2023 Tem sido difícil montar o puzzle com estas peças de primeira água, porém. Em 25 jogos, os “blues” marcaram... 24 golos apenas e sofreram 25. Para um clube que em 2021 conquistou a Liga dos Campeões e que conta com alguns dos melhores futebolistas da actualidade, há algo que não bate certo. E a pressão é tanta que o golo solitário de Fofana (53’) ao Leeds serviu como uma espécie de bálsamo para Potter.“É uma vitória importante. Estamos satisfeitos com a vitória, porque estamos a atravessar um período difícil. É muito positivo para os jogadores ganharem e não termos sofridos golos. Dá-nos confiança, numa altura em que temos de preparar-nos para um jogo tremendo, na terça-feira”, declarou o treinador.O “jogo tremendo” a que Potter se refere é o embate com o Borussia Dortmund, relativo aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. A segunda mão de uma eliminatória que pende para os alemães (1-0) e que decidirá o futuro do Chelsea na Europa. “Se criarmos ocasiões, os golos vão aparecer porque a qualidade dos jogadores está lá.”...

No final do jogo com o Leeds United, respirou-se fundo em Stamford Bridge. Não foi bem um suspiro de alívio e plena satisfação, mas mais o esvaziar do balão de frustração que se tem apoderado do Chelsea nas últimas semanas. O triunfo foi magro (1-0), mas serviu para os “blues” consolidarem a posição a meio da tabela da Premier League e reduzirem ligeiramente a pressão.

Foi a primeira vitória nas últimas sete semanas, diante de um adversário que luta actualmente pela manutenção. Uma vitória celebrada com sorrisos e abraços que traduziam bem mais do que a simples obrigatoriedade de os londrinos imporem a sua superioridade. E foi uma vitória especialmente importante para Graham Potter, treinador que assumiu o comando técnico em Setembro e tem andado longe de convencer.

Percebe-se porquê: desde que o empresário norte-americano Todd Boehly chegou, o Chelsea gastou mais de 350 milhões de euros no mercado de Inverno, elevando o nível das expectativas que rodeiam um clube habituado a discutir os lugares da frente do campeonato - ou não tivesse um dos melhores plantéis do futebol inglês.

Malta! Foi golo do Chelsea! ??

?????????????? @premierleague | @ChelseaFC 1 x 0 @LUFC#PremierELEVEN pic.twitter.com/dsHtdn9bJj

— ELEVEN Portugal (@ElevenSports_PT) March 4, 2023

Tem sido difícil montar o puzzle com estas peças de primeira água, porém. Em 25 jogos, os “blues” marcaram... 24 golos apenas e sofreram 25. Para um clube que em 2021 conquistou a Liga dos Campeões e que conta com alguns dos melhores futebolistas da actualidade, há algo que não bate certo. E a pressão é tanta que o golo solitário de Fofana (53’) ao Leeds serviu como uma espécie de bálsamo para Potter.

“É uma vitória importante. Estamos satisfeitos com a vitória, porque estamos a atravessar um período difícil. É muito positivo para os jogadores ganharem e não termos sofridos golos. Dá-nos confiança, numa altura em que temos de preparar-nos para um jogo tremendo, na terça-feira”, declarou o treinador.

O “jogo tremendo” a que Potter se refere é o embate com o Borussia Dortmund, relativo aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. A segunda mão de uma eliminatória que pende para os alemães (1-0) e que decidirá o futuro do Chelsea na Europa. “Se criarmos ocasiões, os golos vão aparecer porque a qualidade dos jogadores está lá.”

❤️[O Chelsea esvaziou um pouco o balão da pressão]❤️

description:2023-03-15 21:57O grande mosaico desportivo norte-americano tem uma dose generosa de grandes dias para todos os gostos: as finais da NBA, a final do US Open, o Masters de golfe, as 500 milhas de Daytona, a “final four” do basquetebol universitário, a “World Series” do basebol, a Stanley Cup do hóquei no gelo, ou a maratona de Nova Iorque. Todos eles perdem para o Super Bowl, o jogo que decide o campeão da National Football League (NFL), que neste domingo terá a sua 57.ª edição (ou, em numeração romana como é tradição, a edição LVII), entre os Kansas City Chiefs e os Philadelphia Eagles.Será o arraial do costume em que o país vai parar para comer e beber enquanto vê o jogo mais importante do futebol americano, as audiências televisivas serão altas (em Portugal, passa na Eleven Sports, que terá o sinal aberto, a partir das 22h30), o preço de publicidade será alto, haverá entretenimento musical ao intervalo e múltiplas narrativas para seguir ao longo do jogo. Mas também se vai fazer história nesta Super Bowl LVII, que se joga em Glendale, no Arizona.Pela primeira vez, os “quarterbacks” titulares dos dois finalistas serão negros, Patrick Mahomes (Chiefs) e Jalen Hurts (Eagles), simbólico da mudança que tem acontecido na NFL, uma liga que, durante 12 anos (entre 1934 e 1946), proibiu a presença de jogadores negros. FotoJalen Hurts, dos Philadelphia Eagles, e Patrick Mahomes, dos Kansas City ChiefsHistoricamente, a posição de “quarterback”, aquele que comanda o ataque e tido como o líder da equipa, tem sido preenchida por atletas brancos, mesmo que a NFL seja há várias décadas uma liga com maioria de atletas negros – actualmente são 56,4%. “Pensavam que os homens negros eram inferiores e que os “quarterbacks” negros não podiam liderar homens brancos na NFL, e que, simplesmente, não eram suficientemente espertos”, diz o jornalista da ESPN Jason Reid, autor do livro “Rise of the Black Quarterback”, citado pela NPR.Nas 56 primeiras edições do Super Bowl, só na 22.ª é que houve um “quarterback” negro titular, Doug Williams, que seria o MVP desse jogo no triunfo dos Washington Redskins sobre os Denver Broncos.Trinta e cinco anos depois, temos Mahomes e Hurts frente-a-frente no jogo do título, confirmando que as coisas evoluíram na NFL – nos primeiros 30 anos da era Super Bowl, o número de “quarterbacks” negros a começarem pelo menos um jogo, durante uma época inteira, variava entre o zero e o quatro; no “opening day” de 2022, houve 11 “quarterbacks” negros entre as 32 equipas.“É especial”, reconhece Patrick Mahomes, que estará pela terceira vez no Super Bowl com os Chiefs – venceu em 2019 e foi eleito o MVP, perdeu em 2020.“Aqueles que vieram antes de nós abriram caminho para que isto acontecesse e agora somos nós que abrimos o caminho para aqueles que vêm a seguir”, acrescenta Mahomes. A Jalen Hurts, que estará no jogo do título pela primeira vez, também não é indiferente a dimensão simbólica do confronto deste domingo: “É história e é algo..❤️.[O Chelsea esvaziou um pouco o balão da pressão]❤️

[O Chelsea esvaziou um pouco o balão da pressão]❤️tags

comment_list
close

WeChat